segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Una niña filipina se convierte en la habitante 7.000 millones del planeta

Este é o verdadeiro problema de Portugal! É que somos poucos, demasiado poucos. Casas aos milhares, a mais, centros das cidades sem habitantes, lojas e lojas vazias...

Portugal tem menos população que algumas das cidades do planeta!

Há dias vi um programa sobre Lisboa e é impressionante a quantidade de edificios que estão vazios!

Ontem, à volta da rotunda Boavista pude ver a quantidade de estabelecimentos comerciais abandonados,outrora cheios de vida!

Há dias em Mirandela estive num centro comercial em que a maioria das lojas estavam vazias. Em Braga são prédios e prédios sem ninguém...

Em Ovar, são escritórios, lojas, apartamentos e ninguém os habita!

Vá aonde for, o cenário repete-se, sempre.

O grande segredo do desenvolvimento pós 25/04/74 foi o regresso dos portugueses de África e não a adesão à CEE!

Foram,,, as pessoas!

As grandes cidades europeias estão cheias de emigrantes, muitos deles portugueses e esse é o segredo do seu desenvolvimento! As pessoas!

Portugal precisa de duplicar ou até triplicar, a sua densidade populacional!

Este é o segredo do progresso.

domingo, 30 de outubro de 2011

Elisabete Simões

Hoje Rezo, falo com Deus, hoje vou Rezar e Pedir pela Maria Eduarda. E tenho Fé que ela irá melhorar, para VENCER, esta Luta.

sábado, 29 de outubro de 2011

Rezemos para que a Maria Eduarda se salve!

Apelo a todos para rezarem pela Maria Eduarda, a filha de Luciane!

Como sabem no meu livro, assumo uma certa dificuldade em rezar, por não saber, por ter dúvidas... mas depois ao longo do N/ percurso pelo calvário, acabo por perceber que a força da oração tem um efeito inexplicável e real!

A Maria Eduarda, aguarda por um transplante num Hospital em Rio Grande do Sul e o dador será um jovem da familia que se ofereceu para esse efeito e foi aceite (a legislação no Brasil é muito diferente da nossa).

Só que o estado de saúde da pequena Maria Eduarda degradou-se de repente e neste momento não aguentaria o transplante, pelo que precisa de melhorar um pouco!

Rezemos todos pela Maria Eduarda e que Deus lhe dê a força que precisa!

Um Xi-Coração para o Brasil

"Muito obrigada por suas palavras. Confesso que já considero um milagre ter encontrado o seu blog na internet, pois a história do seu filho é o que está me dando forças para lutar e não desistir. Fiquem com Deus."
Estas palavras foram escritas pela Luciane do Brasil, há umas semanas atrás!
Estou preocupado porque não tenho tido notícias da sua filhota que aguardava o transplante.
Estes casos, acabam por nos aproximar a todos, em qualquer parte do mundo e a perceber a futilidade das diferenças!
Luciane, força para vocês todos! Estamos convosco no coração e que tudo corra pelo melhor!
Um grande abraço para o dador, que é um verdadeiro herói!

domingo, 23 de outubro de 2011

Novo medicamento paramiloidose - Tafamidis

Mais rigor por favor!!
Se o jornalista do JN diz que o tratamento custa 120.000 euros/ano por doente e por comparação, o transplante custará 400.000 euros, sinceramente, não sei de que é que ele está a falar?!
Um transplante não custa 400.000 euros, mas pode efectivamente atingir essa verba, se houverem complicações que obriguem a um internamento prolongado, especialmente nos cuidados intensivos.
Mas ainda que custe uns 300.000 euros, se tudo correr bem, só se gasta uma vez, enquanto os medicamentos serão ministrados todos os anos!

Na minha modesta opinião, isto é um falso problema, não é com base nesta comparação que se deve defender a administração do medicamento! O transplante é a “ultima ratio”, a ultima solução, a ultima esperança e só se deve recorrer a ela quando mais nenhuma outra funcionou!
O medicamento é uma solução que envolve menos riscos, menos exposição à dor e muito mais conforto, pois o doente não tem que se sujeitar ao internamento e ao risco de estar dentro do hospital a conviver com uma série de vírus e bactérias que nem sempre são controláveis!
Mais uma vez refiro que eu pensava que a vida humana não tinha preço!! Afinal tem, pois para o Estado parece que a vida destes doentes vale menos de 120.000/euros ano!!
Quando começamos a trabalhar e a descontar ninguém nos diz que as futuras despesas de saúde são limitadas a um qualquer despacho ministerial ou decisão administrativa!!
Com que direito se nega um medicamento a alguém que dele necessite? Ninguém, nenhum ministro, nenhuma entidade tem o direito de o fazer! Nós somos os contribuintes, nós somos o povo e o governo não tem legitimidade de decidir contra nós, sacrificando direitos fundamentais!
Não serei tão duro como o Vasco Lourenço quando apelida os governantes de “mentirosos” e de forma indirecta incita à revolução! Mas atenção, este governo está a começar a trilhar caminhos perigosos!

A desculpa da “pesada herança” já começa a soar a falso e todos ouvimos bem o governo dizer que queria ir para além da troika!!

Os Gregos perderam 30 a 35% do seu poder de compra e estão mergulhados numa profunda crise! Caramba, o salário mínimo na Grécia é de 750 euros!!?

Afinal estamos muito pior que a Grécia!!!

sábado, 22 de outubro de 2011

O Guerreiro


sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Recuo Civilizacional

Quando as torres gémeas foram destruídas, chocou-me ver e ouvir os gritos de alegria com que uma velhota palestiniana festejou o episódio!

Quando o Saddam Hussein foi enforcado, incomodou-me profundamente a forma humilhante que rodeou a execução, as “bocas” dos carrascos e todo o triste espectáculo que caracterizou a execução da sentença.

Quando o Ossama Bin Laden foi abatido, mais uma vez fiquei desconfortável ao perceber que lhe poderiam ter poupado a vida e que tudo foi feito mediante o olhar dos familiares.

Ontem ao ver as imagens do linchamento do Kadafi, fiquei novamente sem palavras!

Que mundo este, em que uns festejam a morte dos outros, em que tudo aquilo que se estuda nas faculdades de direito é mera retórica!

Esqueçam, os ‘valores’ e os ‘princípios’, a moral e a ética estão mergulhadas numa crise mais profunda que a economia mundial!!

Estamos a viver um recuo civilizacional inimaginável há uns anos atrás!

Praticam-se abortos como se fosse um método anticoncepcional, suprimem-se medicamentos vitais a quem deles necessita, atrasam-se exames a quem tem doenças oncológicas e mata-se por tudo e por nada ao jeito do “velho oeste”!

Será que a vida humana já não é um direito absoluto, fundamental e inalienável?

Onde iremos parar?

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Tetriberica - Porto Canal

Quando estávamos desorientados e ainda não sabiamos que havia solução para o N/ filho em Portugal, uma das pessoas que se disponibilizou para arranjar parte significativa da verba necessária para irmos para Bruxelas, foi o Joaquim Moreira, hoje padrinho do Vitor Alexandre.

Eis aqui a sua empresa e quem a apresenta é a Lígia, na época Directora da Qualidade e hoje Directora Executiva.

http://www.youtube.com/watch?v=wA4HIsziAv0

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Bloco de Esquerda

O Deputado João Semedo do Bloco de Esquerda "reagiu à minha reacção" e enviou-me um mail, mostrando desencanto e surpresa pela minha iniciativa.

Na troca de mails que se seguiu, uma coisa positiva aconteceu, é que neste momento o Bloco de Esquerda está melhor informado e ficou a conhecer a Hepaturix e o meu Blog!

Aos poucos e muito lentamente, lá vamos conseguindo espalhar a mensagem!

Cada pessoa que ler o “Lutar até Viver” vai interiorizar este assunto de forma diferente e quem sabe, os interesses das mais variadas sensibilidades acabem por ser convergentes e dessa forma se recupere a transplantação hepática pediátrica mais depressa do que actualmente parece ser possível.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Vergonha!!

O Professor Marcelo Rebelo de Sousa reagiu com indignação ao anúncio dos prémios de 100.000 euros que os jogadores da Selecção iriam receber se fossem apurados para o Europeu.

A Federação apressou-se a desmentir os jornais, disseram que não dependiam do Estado, que eram contribuintes líquidos, etc, etc, etc!!

Como se fossem! É preciso ter lata, sempre foram deficitários e só porque agora têm tido saldos positivos esqueceram as décadas em que foram alimentados pelo erário público e das verbas “públicas” com que anualmente são dotados!!

Mesmo que não sejam os tais 100.000 euros/por cabeça (que na minha perspectiva era exactamente isso que estava a ser preparado …), mesmo que a realidade seja um pouco mais ‘modesta’, como “as cabeças” são muitas e envolve uma data de gente, este apuramento é coisa para ficar por uns 2.500.000 euros. Ou seja, quando nos sentarmos na poltrona para ver o jogo na televisão teremos a deliciosa sensação que cada minuto daqueles dois jogos custarão a Portugal uns 13.888 euros.

Portugal que está a apertar o cinto de forma brutal (que o digam os pais das crianças que agora irão ser direccionadas para Madrid para fazerem o transplante hepático, os transplantados pulmonares que estão e vão regularmente á Corunha) não tem dinheiro para cuidar da saúde e do bem estar dos portugueses, mas tem dinheiro para pagar estes prémios patéticos, absurdos e escandalosos, a jogadores pasme-se, que já por natureza são uns privilegiados porque são considerados detentores de uma “profissão de desgaste rápido”!

Mas há que poupar e para uma criança ir a Madrid numa fase complexa em que os pais necessitam de estar juntos para se apoiarem mutuamente, em que lutam desesperadamente para salvar a vida do seu filho, o Estado implacavelmente corta-lhes os cêntimos e diz que apenas um tem direito a ir!! Na Corunha, aos que lá desesperam por um transplante pulmonar, cortaram-lhes tudo a 50%!

Mas que país este, que revolta, que indigno!

Foi uma vergonha a construção dos Estádios de Futebol para o Euro!! Por essas e por outras estamos como estamos, há dias alguém queria julgar criminalmente quem nos colocou nesta situação crítica, então julguem quem teve a ideia de construir os Estádios!

Cortaram os incentivos à transplantação para metade, não foi, então eu proponho que os jogadores da Selecção Nacional joguem por “amor à camisola”, pois já muitos disseram que o fariam!

Quem ganha os salários que eles ganham não precisam destes milhões, pois para eles serão migalhas.

Esta verba resolveria o problema de forma imediata de todas as crianças que aguardam transplante em Coimbra
Triste país este!

####
Já depois de escrever este texto, li outra reacção da Federação a argumentar que o Estado português não terá qualquer encargo, porque o dinheiro {112.000 euros/por jogador e não 100.000 como erradamente foi referido pelo MRS} sairá directamente dos prémios da UEFA e o Estado até beneficiará porque esses rendimentos serão tributados em sede de IRS!!.

Boa Mike! Fantástico Melga! (parafraseando o Herman...)

Os homens não perceberam nada!

É escandaloso o principio, é chocante a verba, é triste a argumentação e é vergonhoso se tiverem coragem de o fazer!

Se eu fosse Ministro das Finanças tomaria a seguinte decisão:
- acima de 75.000 euros de remuneração anual, cessariam os beneficios de profissão de desgaste rápido;
- todos os prémios pontuais e que tivessem como causa uma actividade desportiva, estariam sujeitos a uma taxa liberatória de 70%.

Quem representa o seu país, deveria fazê-lo pela honra e não se compreende a razão destes prémios.

Comentário de uma Mãe ao 'post' anterior

" Pois é o meu maior receio aconteceu.. o meu menino vai ser transferido para Madrid para realizar os exames prévios para realizar o transplante de figado. O pior é que provavelmente vamos voltar para aguardar em portugal o transplante( apesar de estar na lista de espera no estado urgencia ++)

Ainda é de salientar que vamos para madrid pois o estado português não arranjou nenhuma solução para o problema. E só um pai têm direito a acompanhar o filho. Vamos rezar para que tudo corra pelo melhor.O meu tesouro merece. "

Cara Mãe,

Todos vocês merecem, claro! Da mesma forma que com a Luciane do Brasil, trarei o V/ caso no coração e vou rezar para que tudo corra bem.

Tudo de bom para vocês, força e muita coragem!

Perguntas do Bloco de Esquerda ao Governo:

"Neste momento não existe qualquer centro no País que faça transplante hepático pediátrico, tendo a Direcção-Geral de Saúde (DGS) informado que os casos de doença hepática fulminante deveriam ser enviados para o Centro de Transplantes de Madrid. Mas a DGS nada disse sobre o encaminhamento a dar aos doentes pediátricos que, não tendo doença fulminante, estão em lista de espera para transplante hepático. Estes doentes são a maioria.
Não quererá, certamente, a DGS que estes doentes cheguem à fase de doença fulminante, para serem tratados, pois nessas circunstâncias, tal como o próprio nome deste estádio indica, o risco de vida é muito grande e muito elevado o preço do tratamento."

Onde tem andado o BE nestes últimos 5, 6 anos?! Não têm reparado nas iniciativas da Hepaturix em defesa da transplantação hepática pediátrica em Coimbra? Eu pensava que isto era tema que não interessava, nem ao PP, nem ao PSD, nem ao PCP e também não deveria interessar ao BE!! Não demos por vocês, a sério, e fartámo-nos de fazer barulho, nos jornais, nas televisões, mas sempre estivemos sozinhos! Do PS, como tem estado no governo, não criámos grandes expectativas, mas dos que estavam na oposição, ficamos incrédulos que só agora alguém se tenha lembrado desta chatice!
O meu livro alerta para a necessidade de "se olhar" para a Transplantação Pediátrica e foi publicado em Novembro de 2009! Foram várias as entrevistas ao Correio da Manhã, ao Público, à Visão e na SIC, fomos ao programa da Fátima Lopes e na TVI ao programa do Goucha, etc, etc!
Não dei pelo BE e por nenhum dos outros partidos!
Obviamente que estamos contentes por saber que existe a possibilidade de transplantar as N/ crianças em Madrid, mas essa situação não nos satisfaz, porque estávamos muito bem servidos em Coimbra e porque confiávamos na "escola de Coimbra" e até por questões de racionalidade financeira, os transplantes deveriam regressar a Coimbra!
Quer a forma como as questões são colocadas, quer a forma como a DGS respondeu, os intervenientes revelam algum desconhecimento sobre o assunto!! Podiam pelo menos terem-se informado um pouco melhor!

- 1º não são as fulminantes que vão para Madrid, são antes as que estão em fase terminal e para se atingir este estado é indiferente se é uma "fulminante" ou outra patologia qualquer. O critério é que a criança esteja 'quase em coma' o que em nada favorecerá o transplante se ele chegar a efectuar-se, pois o objectivo do transplante é ser "a solução" e permitir à criança ter uma longa vida feliz e saudável, logo é aconselhável que ela vá para o transplante sem entrar em falência multiorgânica ou demasiado fraca e com outras sequelas que a marcarão para sempre;

- 2º o N/ medo é precisamente que apareçam "hepatites fulminantes", pois já houveram casos em que foi necessário preparar o dador (o pai ou a mãe) em poucas horas e se aparecer uma situação destas, não vejo como é que Madrid há-de ser a solução! É que se em Coimbra, já o contra-relógio é aflitivo e todos os segundos são importantes, imagine-se se ainda temos de transferir a criança e os seus pais para Madrid!! É que a solução Madrid está pensada para dador-cadáver, pois segundo ouvi dizer os N/ melhores órgãos começarão a ser colhidos e enviados para o La Paz, mas os fulminantes não se compadecerão com o aparecimento de dadores-cadáveres!

- 3º os doentes que aguardam transplante, são todos sem excepção 'quadros' preocupantes mas "normais" se assim se pode dizer! Fulminantes, não há nenhum, pois se houvesse já estaria seguramente em Madrid, como o próprio significado da palavra o indicia. Isto não quer dizer que não hajam casos urgentes, poderão ser urgentes, mas não serão fulminantes.

- 4º estamo-nos literalmente "nas tintas" se os transplantes das crianças são mais caros em Espanha do que seriam em Portugal. Esta conclusão é óbvia e se é verdade que para o Estado português é muito mais barato fazer os transplantes em Coimbra, nós como Pais não nos preocupamos muito com isso, nem temos que nos preocupar! Nós também somos 'contribuintes' e podemos exigir do Estado que cumpra a sua obrigação. Nós queremos que as N/ crianças sejam transplantadas em Coimbra, porque confiamos nos Hospitais de Coimbra e nos seus médicos, o que por acaso até é a solução financeiramente mais vantajosa. Nós queremos o melhor e o melhor é o Dr. Emanuel a operar, o Dr. Aurélio a ajudá-lo, os mesmos anestesistas, os mesmos intensivistas e a Dra. Isabel a acompanhar-nos. Isto é o que queremos e por acaso, tudo isto que quase parece "muito", era o que já tínhamos e é a solução mais barata, a mais económica e a que interessa em tempo de tão profunda crise!! Os Pais não só ficarão mais descansados porque sabem que quem tratará os seus filhos serão os melhores, como estarão em Portugal, a falar a sua língua, a lidar com os seus conterrâneos e a viver no seu país, ainda que temporariamente em Coimbra, provavelmente no apartamento da Hepaturix!!!

domingo, 16 de outubro de 2011

Olá Vitor,

Ainda estou no hospital com a Maria Eduarda. Ela está estável, não tem mais infecção e agora só toma diuréticos para diminuir o aumento da barriga. Ela é a primeira da lista de transplantes e esperamos ansiosamente que surja um doador morto compatível. (...) A equipe de pediatria gástrica é maravilhosa. Já a médica que fará o transplante (a única no estado onde moro), é muito experiente, há 15 anos ela faz transplantes. (...)
Este mail é o ultimo de uma troca de e-mails com a Luciane de Porto Alegre/Brasil.
 
A sua filhota tem uma história clinica muito semelhante à do Vitor Alexandre. Neste momento aguarda tranquilamente 'o momento', pelo que todos os n/ pensamentos irão naquela direcção para lhes dar muita força!
 
Há coisas incriveis e eu que sempre fui um pouco ateu, eu que senti o meu coração mudar e o meu livro é testemunha disso mesmo, sei que a fé é determinante e o poder da oração tem uma força impressionante! Nos momentos muito complicados, geram-se cadeias de oração e os resultados aparecem, acreditem!
 
Há dias testemunhei uma situação dessas com um caso de leucemia, mas na sua forma mais brutal e devastadora! A pessoa em causa, já teve alta e está bem de saúde e até os médicos estão espantados! Eu conheço a pessoa ...
 
Peço a todos que rezem para que a pequena Maria Eduarda consiga vencer esta etapa.
 
Coragem e muita força Luciane e a todos que estão consigo!

Com tanta crise, já estou com saudades das férias!

Mudem lá o discurso e vivam a vida!

Citando o meu livro (pág. 110):

"Quem passa por uma experiência como a nossa sabe qual é o valor relativo das coisas. Se nos faltar o dinheiro, se nos faltarem os bens materiais, temo-nos pelo menos a nós próprios, temos os nossos sentimentos, os nossos amores, os nossos tesouros, que são as nossas vidas e as vidas dos nossos filhos. Unidos, podemos viver de muito pouco e então, se olharmos para os pobres verdadeiramente pobres dos arredores de Mumbai, ou daquelas aldeolas fora dos roteiros turisticos que descem o Nilo entre Assuão e Luxor no Egipto, então percebemos, que o nosso patamar mais baixo, é inalcançável para toda essa pobre gente. Temos realmente de nos dar por muito felizes por termos nascido em Portugal."

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Artigo de hoje do DC do Sr. Professor Linhares Furtado!

Hoje conversei com várias pessoas ligadas ao processo e todas reagiram positivamente ao texto do Sr. Professor Linhares Furtado! É agradável reparar que neste momento existe um certo consenso e até alguma harmonia em relação à "Solução Coimbrã", quando num passado recente estes consensos pareciam ... complicados!
Por outro lado, a minha inciativa direccionada a conquistar parcerias que nos dessem algum poder financeiro... está prestes a gerar um primeiro entendimento de grande relevo e 'significativo impacto'!

Mas isto fica para outra fase, vamos agora e apenas divulgar o artigo do Sr. Professor:

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

dn Opinião

Não consegui perceber quem assina este artigo!

Reportagem de hoje da TVI

“Ao pensar sobre o assunto, a realidade Portuguesa é que somos dos melhores do mundo a fazer transplantes! Em termos de produtividade/dadores e (mais importante) também em termos de sobrevivência dos transplantados. Não há muitas áreas em que isto seja o caso! Por favor cuidemos dela. Obviamente que custa dinheiro!

Se é para concentrar os transplantes pediátricos, o único sitio è Coimbra.

O transplante pediátrico, sendo bem mais difícil do que entre adultos, logicamente os HUC são capazes de fazer os dois tipos melhor do que qualquer outro hospital.

Mas podemos ir mais longe. Qual o centro com mais experiência de dador vivo hepático? Os HUC!

Qual a região com maior número de dadores do mundo (> 47/m habitantes, graças ao desempenho dos seus cirurgiões)? O centro! Isto é muito mais do que no Norte ou no Sul do país!

Concentrar algumas especialidades de cirurgia faz todo o sentido. Por exemplo, o transplante de pâncreas ou reno-pancreático e a combinação rim/fígado poderia-se fazer só no Stº Antonio. Ou se for transplante por laparoscópio em que é necessária muita prática/experiencia e por consequência seria melhor se fosse concentrado num centro.”

Este texto foi tirado de um mail de um amigo que não posso revelar a identidade. Se dúvidas houvessem, a TVI de hoje tinha-nos esclarecido! Sou contra a concentração no caso das transplantações hepáticas, mas se querem um único centro, então façam-no em Coimbra, nos HUC, senão nem daqui a uns cinco anos temos os transplantes pediátricos a funcionar!

domingo, 2 de outubro de 2011

Exmo. Senhor Ministro da Saúde Dr. Paulo Macedo,

“Faz todo o sentido concentrar os transplantes num só local”

Esta conclusão é feita pelo Prof. Eduardo Barroso, no “Sol” da semana passada e “aparentemente”, a afirmação vai ao encontro do pretenso espírito espelhado numa “carta hospitalar” que estará a ser elaborada pelo Ministério da Saúde e ao que parece, será conhecida até ao final do ano!!

Na altura em que o Dr. Eduardo Barroso era presidente da ASST , circulava um boato que ele estaria a tentar concentrar os transplantes hepáticos nacionais, incluindo os pediátricos, num determinado novo hospital privado que iria ser brevemente concluído …

Nessa mesma altura, a Hepaturix reuniu-se duas vezes com o Prof. Eduardo Barroso e uma das coisas que ele nos disse é que “o problema de Coimbra” resolvia-se levando todos para Lisboa, o Dr. Emanuel Furtado, a Dra. Isabel Gonçalves, os intensivistas, os anestesistas pediátricos, etc, etc, etc, mas como tal nunca seria possível, a solução teria de passar sempre por Coimbra!

Em contradição com a posição que sempre nos transmitiu e dando algum fundamento àquele boato - embora noutros moldes - aparece agora esta posição pública do Dr. Eduardo Barroso!

Entretanto outro fantasma pairava sobre o Curry Cabral, pois o seu encerramento já tinha sido equacionado - e há quem ainda defenda essa ideia - e muito recentemente a Administração desse hospital demitiu-se!

Hoje ficámos a saber pelo JN que os Hospitais de Lisboa são uma espécie de “Ilha da Madeira”, isto é o desvio financeiro está incontrolável e esse descalabro é um “buraco colossal”!!

A tudo isto gostaríamos de responder da seguinte forma e faço-o directamente ao Sr. Ministro:

Ponto 1 = se os argumentos esgrimidos pelo Dr. Eduardo Barroso a favor da “solução Coimbra” eram válidos há dois anos atrás, logo, também serão válidos agora! Se temos quase 20 anos de transplantes hepáticos pediátricos que conferiram à Escola de Coimbra – Hospitais/ Universidade Coimbra – um reconhecido crédito internacional, logo é em Coimbra que temos de manter esta área da N/ medicina. As N/ crianças não são cobaias de ninguém e a experiência entretanto acumulada tem um valor incalculável e inegociável!

Ponto 2 = se é certo que os profissionais de Coimbra, não poderão ir para Lisboa, porque têm as suas vidas organizadas em Coimbra, porque fazem muitas mais coisas que transplantes e não poderão abandonar as suas outras vertentes, também os do Porto não irão, pelas mesmas razões! Se tal acontecesse haveria uma forte concentração de serviços em Lisboa e desaproveitava-se as potencialidades dos Hospitais de Coimbra e do Porto! Repare-se, se é verdade que todos concordamos que é necessário optimizar recursos e racionalizar custos, por outro lado não nos podemos esquecer que uma das variáveis não é negligenciável, é a das vidas que estão em jogo. Não nos satisfaz ter um único centro que debite transplantes em série e que bata recordes, pois para nós, mais que a quantidade queremos qualidade e nas crianças essa vertente é também inegociável, pois as crianças têm toda uma vida à sua frente e que se espera, longa! REPITO, nada disto é negligenciável nem negociável! Nós em Coimbra estamos habituados ao “must”, ao melhor, ao excepcional e não aceitamos menos que isso, agradecemos então que nem sequer nos falem de experiências utópicas e perdoe-me V.Exa. a expressão “mal amanhadas”;

Ponto 3 = contudo, repare-se, ninguém consegue demonstrar que a concentração nesta área é sinónimo de contenção financeira! É que é preciso dotar o tal centro de autonomia financeira e ninguém sabe como tal seria possível, o mais certo é começarem com um determinado orçamento e depois, cinco anos mais tarde termos à N/ espera outro “buraco colossal”. Esta solução arranjada agora “à pressão”, assenta que nem uma luva nos problemas do Curry Cabral, é que nesta fase, só existem intenções e no “plano dos sonhos e dos projectos”, tudo é fácil e … parece fácil, mas depois a realidade é bem diferente! Agora resolver-se-ia o problema do Curry Cabral, dos incentivos e retirava-se tudo a Coimbra e ao Porto, daqui a uns três anos quando se visse o disparate do que se tinha cometido e os números apresentassem outro desvio colossal, estaríamos perdidos, pois já não haveria “volta a dar” e não se poderia devolver os transplantes a Coimbra, nem ao Porto! Nesse contexto, todo o país estaria refém do Curry Cabral e de Lisboa e nunca mais haveria alternativas válidas;

Ponto 4 = nada nos garante que essa concentração melhore a qualidade do serviço propriamente dito, até porque grande parte dos órgãos colhidos, são-no no próprio hospital. É certo que os tempos de isquemia têm vindo a aumentar e sem o risco de “função pobre”, mas não nos podemos alhear que temos listas infindáveis de pacientes a aguardar por um órgão e na N/ perspectiva, isso consegue-se melhor com três centros a funcionar em pleno e não com apenas um! Foi esta a lógica utilizada ‘em Aljubarrota’, agora aqui aplicada aos transplantes! Também achamos que a solução do “dador vivo” é uma alternativa de valor inquestionável, que está cada vez mais “esquecida e perdida” e que já deu resultados comprovadamente espectaculares (e, para quem tiver curiosidade remeto para a leitura do texto do Sr. Professor Linhares Furtado, disponível no Blog do meu livro “Lutar até Viver”).

Ponto 5 = falemos agora dos incentivos! Resulta evidente que havendo um único centro com equipas “especializadas” que deixariam de fazer outras cirurgias, a “produção” de transplantes aumentaria necessariamente e por isso percebe-se que esta redução dos incentivos a metade acabaria por não ser um problema! O transplante hepático é o mais complexo e extenuante e por essa razão tem incentivos próprios, mas estes incentivos têm um efeito psicológico adverso pois geram muitas dúvidas e incompreensões no público em geral e em muitos colegas de outras áreas, todavia, os profissionais que EU CONHEÇO não se movem por incentivos, fazem-no por missão e por isso exorto o Sr. Ministro da Saúde a mudar a estratégia! Estes profissionais fazem milagres, merecem ser bem remunerados e já que este modelo de incentivos não parece servir, então arranje-se outro e chamem-lhes o que quiserem, tudo … menos “incentivos”! Por exemplo, nos cardíacos, não lhe chamam incentivos, mas as equipas são diferentemente remuneradas!

Concluo dizendo o seguinte, Imagine-se que nos anos 60 alguém tinha despachado o Eusébio para o Atletismo, ou outra modalidade qualquer! O Eusébio era diferente e tinha uma equipa diferente, tinha o Mário Coluna, o José Henriques, o Torres, o Simões, etc! Se tivessem mandado o Eusébio “plantar batatas” será que a história do futebol português era a mesma? Por favor, que ninguém estrague o que ainda existe em Coimbra, é preciso recuperar o Dr. Emanuel para os transplantes e todos os outros elementos das diversas equipas!! Justiça seja feita aos HUC e se for verdade o que consegui apurar, os HUC são dos hospitais com melhor desempenho financeiro coisa que não acontece com nenhum dos Hospitais da área de Lisboa, logo também por isto os transplantes hepáticos não devem sair de Coimbra.
Sr. Ministro, nós, Hepaturix, estamos a mover montanhas para granjear apoios e ‘à nossa maneira’ tentarmos ajudar Coimbra e Portugal a encontrar uma solução. Queremos trazer cá outros cirurgiões, se for necessário queremos enviar crianças ao estrangeiro, queremos recuperar o Dr. Emanuel para os transplantes pediátricos dador-cadáver e dador-vivo, nós queremos muita coisa, mas no essencial, trata-se apenas de salvar vidas!

A tanto que o poder governativo apela à activa e consciente participação da comunidade civil na resolução dos problemas económicos e sociais de um país em crise, eis esta uma profunda e válida razão para que a comunidade civil seja ouvida, e que sobre ela se abram as reflexões e acções necessárias à resolução desta questão nacional.

Por razões de racionalidade financeira, por questões técnicas/médicas, por questões éticas - porque a vida humana é inegociável e não deve ser negligenciável - e por força do supremo interesse nacional que penso estar a defender, eu Vitor Manuel Raimundo Martins c/ o BI nº 7923838, Pai do Vitor Alexandre Costa Martins transplantado em 26/07/2004 e Presidente da A.G. da Hepaturix – Associação Nacional das Crianças e Jovens Transplantados ou com Doenças Hepáticas, não aceito que os transplantes hepáticos pediátricos acabem e pelas mais comprovadas razões saiam de Coimbra.

Com conhecimento:

- Exmo. Senhor Presidente da República,

- Exmo. Senhor Primeiro Ministro,

- ARS Centro;

- Administração HUC;

- Administração H. Pediátrico;

- Administração Stº António;

- Dr. Emanuel Furtado;

- Dra. Isabel Gonçalves;

- A um grupo de empresas conhecedoras deste processo.

sábado, 1 de outubro de 2011

A Inês e o Japão

Em Setembro fez um ano que a Inês ganhou o concurso na "Anipop". O tema era 'o cartaz do próximo ano', era feito no local, num determinado tempo e sinceramente não sei se o desenho foi aproveitado para esse fim, ou não! Como na altura não divulguei o desenho, faço-o agora, através desta foto tirada por um telemovel.

A Inês é fascinada pela cultura Japonesa e quem conhece os desenhos dela percebe logo a influencia!

Eis então o desenho,